banner

Ticker

* Cotações com atraso superior a 15 minutos via Bats CHI-X Europe e NASDAQ Basic

Dados económicos e principais notícias - 12 janeiro

12 Jan 2018

noticias/Diario-Fincor.jpg

França: Índice de Sentimento do Banco de França (dezembro)

  • O índice de sentimento do Banco de França para os empresários na indústria aumentou 4 pontos para 110 (vs. consenso 107), atingindo um novo máximo para o atual ciclo económico e o valor mais elevado desde fevereiro de 2011. O detalhe mostrou uma subida nas componentes das encomendas (de 12 em novembro para 19 em dezembro) e da utilização da capacidade (de 81,0 para 81,7);
  • O índice de sentimento dos serviços registou uma subida de 1 ponto para 103, tendo permanecido inalterado o índice para o sentimento na construção (104).

Espanha: Índice de Produção Industrial (novembro):

  • O índice de produção industrial registou um ganho de 1% em novembro, ajustado pela sazonalidade (vs. consenso 0,2%), após a subida de 0,6% observada em outubro. A taxa de variação homóloga atingiu 4,2% (vs. consenso 3,3%), também ajustada pela sazonalidade. Outubro mostrou o 4º mês consecutivo de ganhos para este índice, ilustrando a evolução favorável nesta área da economia de Espanha;
  • O detalhe foi misto, uma vez que o segmento da energia apresentou uma forte subida (+3,7%) no mês. Mesmo assim, sinais positivos foram observados nos segmentos de bens intermédios (+0,7%) e, principalmente, nos bens de equipamento (+1,7%).

Assumindo uma variação nula em dezembro, o período entre outubro e dezembro apresentaria um ganho trimestral não anualizado de 1,8% no índice de produção industrial, após 1,1% no 3º trimestre de 2017 e 1,1% no 2º trimestre de 2017. Ou seja, em linha com os sinais fornecidos pelo índice PMI para a indústria do país, o setor deverá ter tido um final de ano bastante sólido.

Portugal: Perspetivas de Exportação de Bens (2018 - 1ª previsão):

  • Segundo o inquérito do INE, as empresas exportadoras de bens perspetivam um crescimento nominal de 5,7% das suas exportações em 2018 face ao ano anterior (vs. um crescimento estimado de 7,5% em 2017, na 2ª previsão). As empresas esperam um acréscimo de 3,9% nas exportações para os mercados fora da União Europeia e de 6,3% para os países dentro da União Europeia;
  • Excluindo os Combustíveis e lubrificantes (relembrando a volatilidade dos preços no segmento da energia), as perspetivas reveladas pelas empresas indicam um aumento esperado de 6,9% em 2018, o que compara com as expectativas de +6,2% na 2ª previsão realizada (+6,1% fora da União Europeia e +7,2% dentro da União Europeia).

Em suma, indicações positivas quanto à expectativa de um comportamento favorável por parte das exportações de bens em Portugal.

Alemanha: Dados para o PIB de 2017:

  • Segundo os dados divulgados pela Destatis, a economia registou um crescimento de 2,2% em 2017 (vs. consenso 2,3%), após 1,9% no ano anterior (não ajustado pela sazonalidade);
  • O consumo privado contribuiu com 1,1 pontos percentuais. As exportações líquidas, o consumo público e a FBCF registaram contributos de 0,2, 0,3 e 0,6 pontos percentuais, respetivamente. Ou seja, o crescimento económico revelou-se abrangente, mas com um forte suporte por parte da procura interna;
  • O consumo privado registou um crescimento de 2%. A procura interna cresceu 2,2%. A FBCF registou um aumento de 3,0% (construção +2,6% e investimento em bens de equipamentos +3,5%);
  • O ano terminou com um saldo orçamental positivo de 1,2% do PIB (vs. consenso 1,1%), na ótica de Maastricht, após 0,8% em 2016.

Zona Euro: Índice de Produção Industrial (novembro):

  • O índice de produção industrial registou um crescimento de 1,0% em novembro, 0,2 pontos percentuais acima do esperado pelo consenso. A variação mensal de outubro foi revista de +0,2% para +0,4%. A taxa de variação homóloga situou-se em 3,2% (vs., consenso 3,1%);
  • O detalhe mostrou subidas na generalidade dos segmentos, excluindo a energia que apresentou uma variação nula. Destaque para os ganhos nos bens de equipamento (+3,0%) e nos bens de consumo duradouros (+1,6%), com implicações positivas para o ciclo económico na região;
  • A maior parte dos países da área do euro mostrou uma evolução positiva no mês (+0,8% em Portugal), sendo de notar as quedas de Irlanda, França e Holanda.

A manter-se inalterado o valor do índice em dezembro, o índice registraria um ganho de 1,2% no período entre outubro e dezembro (em termos de taxa de variação trimestral não anualizada), o que compara com 1,2% no 3º trimestre de 2017 e 1,3% no 2º trimestre de 2017. Como é visível pelo gráfico abaixo, o índice PMI para a área industrial da região continua a apontar para uma forte evolução por parte deste setor. É também um sinal positivo para o PIB da economia da área do euro no 4º trimestre de 2017.

EUA: Índice dos Preços na Produção (dezembro):

  • O índice dos preços na produção nos EUA registrou uma queda de 0,1% em dezembro face ao mês anterior. A taxa de variação homóloga abrandou de 3,1% em novembro e atingiu 2,6% em dezembro (vs. consenso de 3%).
  • O índice dos preços na produção excluindo alimentação e energia cresceu 2,3% face ao dezembro de 2016 (abaixo de consenso de 2,5%).

EUA: Inscrições Semanais nos Centros de Emprego:

  • As inscrições nos centros de emprego aumentaram em 11 mil para 261 mil na semana terminada em 6 de janeiro (vs. consenso de 245 mil), o valor mais elevado desde setembro de 2017. A média para as últimas 4 semanas aumentou para 250,75 mil;
  • O total de subsídios de desemprego atribuídos caiu 35 mil para 1,867 milhões na semana terminada em 30 de dezembro (vs. consenso 1,920 milhões). A média para as últimas 4 semanas ficou praticamente inalterada em 1,913 milhões. O valor da última leitura foi revisto em baixa, de 1,913 para 1,902 milhões.

Notícias:

Jerónimo Martins: o grupo comprou uma propriedade imobiliária em Varsóvia por aproximadamente 11,9 milhões de zlotys (cerca de 2,85 milhões de euros). A transação foi feita com a sociedade Tower Investments (Dla Handlu)

REN: a empresa acordou os termos de uma emissão de obrigações no mercado de Euro Bonds, no montante de 300 milhões de euros, ao abrigo do respetivo Programa de EMTN da REN e da REN Finance, com um prazo de vencimento de 10 anos e com uma taxa de juro correspondente à mid swap rate a 10 anos, acrescida de 0,8%. Esta emissão surge no âmbito do financiamento da recente aquisição da REN Portgás (Comunicado da REN na CMVM)

Pharol: a Discovery Capital Management reduziu a sua participação no capital social da Pharol de 5,14% para 4,89%. (comunicado da Pharol na CMVM)

CTT: Os CTT informaram terem recebido da ANACOM um Sentido Provável de Decisão contendo alterações aos critérios de qualidade de serviço aplicáveis à prestação do Serviço Postal Universal a partir de 1 de julho de 2018 e até ao final de 2020. Conforme comunicado pela ANACOM, os CTT irão estar obrigados ao cumprimento de um conjunto de 24 indicadores de qualidade de serviço que comparam com os 11 indicadores anteriores (Comunicado dos CTT na CMVM)

EDP: no dia 8 de Janeiro de 2018, o Norges Bank comunicou à EDP a alteração do título de imputação da sua participação qualificada, composta nesta data por 113.814.364 ações, representativas de 3,11% do capital social da EDP e dos respetivos direitos de voto. Das 113.814.364 ações detidas pelo Norges Bank, 73.396.967 (correspondentes a 2,01% do capital social da EDP) eram detidas diretamente, enquanto 40.417.397 ações (correspondentes a 1,11% do capital social da EDP) eram imputáveis através de instrumentos financeiros (das quais 30.724.700 ações através “Shares on Loan (right to recall)” e 9.962.697 acções através de “CFDs”). O total de ações detidas directamente pelo Norges Bank ultrapassou o patamar de 2,00% do capital social da EDP no dia 5 de Janeiro de 2018 (Comunicado da EDP na CMVM)

Portugal: segundo os dados da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal, 25% das casas vendidas em 2017 foram compradas pelos estrangeiros. Franceses e brasileiros são os compradores mais comuns (ECO)

Angola: a agência de notação financeira, Moody´s avisa Angola que uma reestruturação de dívida soberana, que implique perdas para os credores, equivaleria a um default e teria consequências no rating do país (Negócios)

Abertis: o grupo decidiu suspender a venda da Hispasat à Red Electrica até que seja completada a operação de aquisição que índice sobre si, de acordo com o Cinco Dias (Bloomberg)

Espanha: Espanha superou os EUA e tornou-se o segundo país mais visitado no mundo, depois da França. 82 milhões de pessoas visitaram Espanha em 2017, um aumento de 9% face ao 2016. As receitas turísticas subiras 12% e totalizaram 87 mil milhões de euros. (Bloomberg)

Espanha: o secretário-geral de partido socialista espanhol, Pedro Sánchez, defende a introdução de 2 impostos sobre o setor bancário, uma taxa de transações financeiras e um imposto extraordinário. As receitas seriam canalizadas para o sistema de pensões (Jornal Económico)

Espanha: as vendas de casas cresceram 18,1% em novembro em relação ao mesmo mês de 2017. O crescimento mensal atingiu 9% (Expansion)

Voltar